Lipoaspiração

A lipoaspiração surgiu na década de 80 na França e deu um salto de qualidade na cirurgia estética corporal. Seu princípio continua o mesmo: por meio de pequenas incisões, introdução de cânula e sucção da gordura. A partir de então, com a evolução da técnica, surgiram vários nomes que confundem muita gente (hidrolipo, lipolight, lipoescultura, lipo seca, lipo úmida, etc.). Vamos então falar sobre as evoluções.

Solução vasoconstrictora Antes de começar o procedimento, é infiltrada uma solução de soro fisiológico, anestésico e adrenalina para provocar vasoconstricção e diminuição do sangramento.

Tamanho e forma das cânulasAlgumas cânulas com grandes diâmetros não são mais usadas, pois produzem depressões e irregularidades. Os diâmetros variam entre cinco e dois milímetros. As mais grossas são usadas profundamente para retirada de volume e as mais finas, superficialmente para dar acabamento ou em pacientes “magras”. Existem cânulas com um, dois ou três furos com ponta romba ou cortante. Estas últimas são usadas para romper aderências de subcutâneo.

Controle das cânulas Manual – O cirurgião faz todo movimento de vai-e-vem para extração da gordura. Vibrolipoaspiração – O vibrolipoaspirador é um aparelho que faz a cânula vibrar com uma velocidade programada. A gordura é retirada com menos trauma e esforço, e mais rapidamente.

Tipos de sucção Através de aparelhos de aspiração ou seringas. Estas últimas são utilizadas quando a gordura é reaproveitada para enxertos.

Lipoenxertia Há alguns anos, foram desenvolvidas técnicas de injeção da gordura retirada para correção de depressões. A combinação de lipoaspiração e lipoenxertia é chamada de lipoescultura.

Evitando riscos A lipoaspiração requer cuidados para torná-la segura:
1- Não se deve lipoaspirar mais do que 7% do peso do paciente.
2- O paciente deve fazer preparação pré-operatória normalmente, já que se trata de ato cirúrgico (pesquisa de anemia e funções renais e cardiológicas).
3- No exame clínico, afastar a possibilidade de hérnia abdominal. Em alguns casos, o exame de ultrassonografia é necessário.
4- Fazer a cirurgia em ambiente hospitalar com todo aparato necessário a uma cirurgia de grande porte.
5- A lipoaspiração não serve como tratamento de obesidade. O primeiro passo é a dieta para depois tratar a gordura localizada.

© 2011. JASON CIRURGIA PLÁSTICA. Todos os direitos reservados

RS Web Interactive: Criação de sites