Transplante de cabelo

A calvície é um fenômeno fisiológico e natural que está determinada por fatores hereditários. Quando se estabelece em idade jovem, provoca uma aparência mais velha mesmo que não existam ainda outros sinais como flacidez ou rugas. Vale salientar que há outros tipos de calvície (disfunções hormonais, secundária a medicações como quimioterápicos, autoimunes, etc.) cuja causa deve ser pesquisada antes de qualquer tratamento ser proposto.

A calvície fisiológica é determinada pela ação da testosterona em receptores localizados nos bulbos capilares. Esta ação é desigual; regiões do couro cabeludo como occipital e temporal são resistentes e outras, como frontal e parietal são sensíveis.

Tratamento Tabagismo e algumas doenças como diabetes e hipertensão prejudicam o tratamento. O tempo de calvície é importante; o couro cabeludo calvo atrofia, torna-se menos vascularizado e resistente às medicações e cirurgia.

Tratamento clínico O princípio é melhorar a perfusão do couro cabeludo com substâncias vasoativas e inibir a ação da testosterona (por meio de xampus e medicações). São úteis medidas complementares de tratamento de afecções dermatológicas principalmente a seborreia.

Tratamento cirúrgico Existem três tipos de cirurgia para a calvície: o transplante capilar, ressecção de área calva e uso de expansores. Este último é apenas usado nos casos de calvície secundária a queimaduras. A redução de área calva consiste em ressecá-la na quantidade que permita tração e sutura das bordas de couro cabeludo. Frequentemente deixa cicatriz hipertrófica visível.

Microtransplante de cabelo O princípio é retirar cabelo da área resistente à testosterona (abaixo da linha entre as orelhas) e distribuí-lo na área calva. Após a excisão de um fuso de pele é feita a separação de unidades de folículos pilosos por meio de uso de lupas. Estas unidades são transplantadas na área calva através de pinças e bisturi específicos.

O paciente deve saber que não terá uma densidade capilar igual a um indivíduo não calvo. Amiúde são necessários novos transplantes limitados pelo potencial da área doadora.

Depois de três meses começam a crescer os cabelos transplantados e o resultado final se estabelece por volta de oito meses após a cirurgia.

© 2011. JASON CIRURGIA PLÁSTICA. Todos os direitos reservados

RS Web Interactive: Criação de sites